Enquanto voo

Toda ausência regida por seus graves
Transpõe meus olhos e nada as marés
em qualquer lua quero intenso

Embarcação que segue as ondas
Se distrai
Se lança fingindo não ser
Traz seu cheiro sem me dar

Seu corpo livre
um espírito conflituoso
Tudo. Nada.
Contraditório sem ampla defesa

Me atraiu, chamegou.
Experimentou os prazeses e sentires
Já não pode sair, nem tão pouco entrou
Leveza e rudez, suas



2 comentarios:

  1. um desabafo de contradições, um voo entre as paletas de um moinho.


    abraço

    ResponderEliminar
  2. Hoje estou aqui para agradecer sua amizade .
    E desejar um Santo Natal a você e sua familia preciso acarinhar minhas lindas
    amizades fico temerosa de deixar alguém sem passar no blog.
    Esta postado no meu blog um presente de Natal feito com muito carinho.
    Caso gostar esta a seu dispor e louvo a Deus pelo previlégio de conhecer você.
    Que perdure para sempre esse carinho essa amizade tão linda te amo ..te amo..
    Beijos no coração .
    FELIZ NATAL..
    Vou continuar te seguindo e te amando sempre.
    De mãos dadas rumo ao futuro.
    Evanir

    ResponderEliminar

Grafe as asas de suas idéias...