Entre mim e eu, depois da tempestade.

Nos dias passados
vi ruir meu todo
o despreparo fez em mim um rasgo
feito lâmina afiada
deslizando sobre as circunstâncias
inabilitei defesas, que sem força, não serviam.
Perdi a noção de tempo
o limite de sofrimento,
deixei de ocupar-me onde caibo.
Dei para viajar entre anestésicos espaços imateriais
vaguei...com medo de dentro, medo de fora
medo de tudo..custou caro isso..
Uma grande alegria, muitas outras mentiras. Tudo permanecia escuro e denso..