Avanço em retrocesso

Precisava deste silêncio
as três da manhã
não sei bem pra quê

Parecia um óbito
sem corpo
a morte do tempo

Merecia janelas
abertas como aquelas
convidando a luz


O cinzeiro cheio
o copo vazio
Tudo extremo, do gozo à melancolia

Mas o que é que eu vim dizer?
A insônia, o atoismo
Nada parece ter sentido

Agora que tudo já não é
E nada parece ser, vou deitar
Adormecer os males, meus mares

O que é poesia, melodia
e o que que deixou de ser
Vai saber

Proposições na leitura das entrelinhas...

2 comentarios:

  1. Acordei as três da manhã e li esse poema. Adivinha: meu cinzeiro estava cheio e meu copo vazio.

    Só que pensei: droga, eu nem fumo. De quem é?


    Abraços

    ResponderEliminar
  2. Descanso ao dormir:
    A cabeça esvazia,
    para o coração encher:
    ......................Mares
    Do gozo à melancolia
    dos copos vazios
    e dos cinzeiros cheios:
    .......................Entrelinhas

    Não há sentido, mas sim busca
    pelo hiato de paz, de idéias, livres. :)

    bjinho...

    ResponderEliminar

Grafe as asas de suas idéias...