'essa abstinência uma hora, vai passar'


Quando só, choro 
pra me aliviar da estranha agonia. Alivia. 
Não dá pra cabular
Desenfreadas
gotas de saudade que nascem
Não posso dizer se uma parte de mim diz sim e outra diz não
Ou se toda a parte é quem diz. 
Toda restauração tem um momento crítico,
Aflito.
É quando estamos ilhados
à mercê da vida ou algo que valha.
Ao léu, feridas respiram, livres
tomam chuva e sal do mar
até surgir cicatriz. 
Viver é deixar-se molhar.
Arriscando os já perdidos sentidos
Intensidade que não para. 
Nestes dias tristonhos, tenho tentado só amar
e assim o que dói, passa
e o que é eterno, será

4 comentarios:

  1. Delicadeza...

    Qualquer dia aprendo esta arte de (só) amar... ;)


    Abs....

    ResponderEliminar
  2. "Viver é deixar-se molhar"

    Gostei muito dos seus "versos conseqüencias".


    Abraço

    ResponderEliminar
  3. ... nem eu que você era.

    Comentei baseado num comentário antigo no meu blog.

    Peguei seu hotmail.


    ^^

    ResponderEliminar

Grafe as asas de suas idéias...