pessoalidade

As febres passam
A morte não existe
Sonhos cessam
e sonhos nascem
 Os calos crescem
endurecem, e finalmente, adormecem
Os pedidos estão sempre estampados
os vestidos passam de mão em mão
Gaitas cantam as cores que enfeitam os dias
cordas ecoadas dançam somadas
aos batuques que fazem o ritmo das ruas andadas

É uma questão de como cada coisa toca seu íntimo

2 comentarios:

  1. Para cada pessoalidade
    Uma musicalidade
    É porque não há uma verdade
    Mas sim uma infinita multiplicidade
    De possibilidades
    De caminhos pela cidade
    E se toca a sua vaidade
    Seria maldade
    Não se entregar...

    ResponderEliminar
  2. pois gosto dessas palavras que me tocam. =)

    ResponderEliminar

Grafe as asas de suas idéias...