FAz°

Tira-me o ar°
Deixa-me
em sobras, suga
meu ato
Meu fato
desejo
Mel
Consumo
do teu prazer
Fel
Ata em nós
o fio solto
em vós
É terno
em mim

Reencontro

Devaneios de um corpo febril
abrasado pelo virulento gozo contagioso.
Sinto-me ansiosa
transpiro palavras delirantes e desconexas.
Batimentos descompassados
Taquicardia incurável.
Uma sensação súbita me toma o peito
Arrepio-me toda.
É noite de reencontro e sintomatizo sentimentos.

Quarta - feira

Aparentemente nada teria, hoje, de singular.
Mas o corpo avisa que virá algo novo
e eu me alvoroço toda.
Uma sensação súbita, mas suavíssima
me enche de esplendor fresco.
Arrepio-me toda com o excesso de mim
e me tomo numa felicidade inesperada.
Desfruto esse instante de cotidiano trivial
com o êxtase das noites clandestinas.
Hoje é quarta-feira e você vem me visitar.

Soma(me)

Um beijo silêncio
Uma intenção,
sôfrega
estalo nos ossos

(...)

Inominável
Sensação ardente
do frio latente
corrente cortada

(...)

Faça-se cor, tarde cinza
Traga tudo
Se não de volta
de
novo