Folha crua em comida temperada

Pensar menos
A vida é complexa demais
Quero a leveza que só a velocidade do som traz.
Há muitas coisas. Coisas indizíveis, coisas
Que o complexo de ser não permite ao pensar, saber.
Então é isso, a linguagem sem pronuncia. Seus sinais.
Sem entender, é viver e...
Espirrar de uma vez os sintomas ruins
Isto está estranhado em mim... viver.

Realizar uns desejos tais
Viver é não encenar e eu me importo
Calar e absorver a profundidade encontrada no ar
Beber o gole de um brinde, ocasião.
Há semelhança em viver a diferença,
É assim.
Tudo, a qualquer tempo, pode mudar
Pode ser bom, crescer e deixar ser o que é...
Tenho contas a acertar com o tempo

O que fiz do destino
Da água fria uma onda transmissora de calor, eu faço
Não sou boa de retas. Sou melhor, eu prefiro as curvas
Abandonei as convicções, ficaram antigas
Novo amparo, cadência
O sacrifício está para a vitória e a saudade para a ausência
Eu estou pra você e você está pra mim.
Ouço Djavan para sentir a vida boa me percorrer
A simplicidade pulsando em meu ser.

6 comentarios:

  1. Acredito que esta postagem só faz sentido pra mim... rs

    ResponderEliminar
  2. Que nada, para mim também...
    A vida é complexa mesmo, mas no final tudo se acerta...
    E se pensar muito...não casa...
    Temos que aproveitar os momentos, pois são únicos...
    Abraços

    ResponderEliminar
  3. Perdoe-me, srta(?)...

    Deixo este comment, em princípio, solicitando que leia o email que lhe enviei, por favor!

    Novamente, peço que me perdoe!

    ResponderEliminar
  4. O sacrifício está para a vitória e a saudade para a ausência
    Eu estou pra você e você está pra mim.
    Ouço Djavan para sentir a vida boa me percorrer
    A simplicidade pulsando em meu ser.

    Adorei essa parte,
    beijos

    ResponderEliminar
  5. "o que fiz do destino"

    Exatamente.
    Porque somos nós quem o fazemos.

    ResponderEliminar

Grafe as asas de suas idéias...