Nando canta e eu toco... Dias Loucos, de Marlon Monter

Na loucura dos meus dias
Quero ser são, pra tornar-me louco
Onde lugar comum
É viajar nas ilusões de cada um
Cair do abismo dos pensamentos
Que até a lua chegam e voltam
Na certeza que o certo é relevante
Num dia seguinte distante

Quero ser exemplo pro meu filho
Quero ser orgulho pro meu pai
Amor pro meu amor
Servir a meu Senhor

Na loucura dos meus dias
Vou conseguindo me fazer ver
Que eu preciso de alguém que me entenda e que eu consiga entender
Olhar pra frente e fazer planos
Deixar pra traz o que me magoou
Me dê a mão venha comigo sempre me aceite simplesmente como eu sou

Quero ter orgulho do meu filho
E seguir o exemplo do meu pai
Ser amor só pro meu amor
Servir a meu Senhor

Numa mistura de loucura e lucidez
Vou viajando e me perdendo em ilusão
Será que esse momento é insensatez?
Uma overdese em meu coração

Folha crua em comida temperada

Pensar menos
A vida é complexa demais
Quero a leveza que só a velocidade do som traz.
Há muitas coisas. Coisas indizíveis, coisas
Que o complexo de ser não permite ao pensar, saber.
Então é isso, a linguagem sem pronuncia. Seus sinais.
Sem entender, é viver e...
Espirrar de uma vez os sintomas ruins
Isto está estranhado em mim... viver.

Realizar uns desejos tais
Viver é não encenar e eu me importo
Calar e absorver a profundidade encontrada no ar
Beber o gole de um brinde, ocasião.
Há semelhança em viver a diferença,
É assim.
Tudo, a qualquer tempo, pode mudar
Pode ser bom, crescer e deixar ser o que é...
Tenho contas a acertar com o tempo

O que fiz do destino
Da água fria uma onda transmissora de calor, eu faço
Não sou boa de retas. Sou melhor, eu prefiro as curvas
Abandonei as convicções, ficaram antigas
Novo amparo, cadência
O sacrifício está para a vitória e a saudade para a ausência
Eu estou pra você e você está pra mim.
Ouço Djavan para sentir a vida boa me percorrer
A simplicidade pulsando em meu ser.

J.F.

Se me escondo
Preciso de terapia!!

Se me encontro
Preciso de companhia...

O escuro do escuro

Fortes pingos d'água molham a madrugada
Aqui dentro uma enchurrada, agonia
Lembranças esfumaçadas
Pessoas demais, uma tela pequena de nada
Sonho de 31 polegadas.
A mistura do reggae com soul embalou a noite
Foi o relógio, bendito seu tempo que me resgatou de lá...

Tudo

Fatos
Vida
Sinais

Verbo
Leitura
Inverso

Inexata
Competência
Acontecimentos

Carne
Nua
Estampa

Tudo
É
Meu

É
Tudo
Nosso!!!!!

Maçã

Quando as palavras fogem
Não as cato insanamente
Como faz o faminto
Deixo-as ir
Livres, voam por aí

A saciedade surge de um momento
Um instante, tentação
Timidez denunciada no rubor da tez
Para que as letras?
Fala a rósea cor...

Para todos

Serei condenado pelas verdades que eu tive medo de dizer, mas serei absolvido pelas verdades que eu gritei.
Edson Marques / mude.blogspot

Repetidas noites

Sonho aquelas asas
Chama adentrou minhas madrugadas
Luz que em meus olhos refletia
Fez-se dia
Invasão incandescente, ardia
Deixou o corpo de um sonho em brasa.




Sonho no tempo do nada
Sonhos
São insípidos, inodoros
Todo sonho inexiste quando estou desperta
Vira carvão queimado, cinza
Que a brisa da manhã dissipa
Traz novo dia, nova energia