Dentro

Há dias em que engolir toda a terra não me saciaria. A sede do mundo é o que me seca, o que me falta de substancial, o mesmo que me sobra e eu não posso, não sei dizer. Um complexo justificado por um conjunto emaranhado de emoções e confusões mentais, lutando para transpor este lugar. A mente forçando-se a ir além, ao desconhecido. Algo como um céu, tal qual o abismo. Um lugar que não existe, posto que não se alcança. Não chega. É vôo sem pouso. É uma idéia que existe, se rompe, expande, me acrescenta células e transmuta meus átomos, ela própria me toma nos braços, atravessa meus olhos na intenção de saciar-me. Porém não há átomos, nem terra e toda idéia, que preencham o vazio de universo, que quando quer faz de mim sua morada...

3 comentarios:

  1. Minha coisa mais bela,

    Estou com tanta saudade de você que resolvi ler seus escritos para me sentir mais pertinho.

    A cada dia eu me encanto com tudo o que vejo e sinto de ti. Quero os seus desejos, o gosto doce do seu beijo, o aroma do teu corpo preenchendo a minha manhã, o seu amor envolvendo o meu ser, eu quero filhos com você...

    Te adoro minha pretinha mais gostosa!!

    Bjs do seu B!

    ResponderEliminar
  2. Que belo, o vôo sem pouso!

    Gostei do Baile de Máscara, e também do Criatura Bela e Ser, Vivo!

    Abraços, flores, estrelas..

    ResponderEliminar
  3. Belíssimo texto, esse "Dentro"!

    E a citação do Gandhi, também.


    Abraços, flores, estrelas..

    ResponderEliminar

Grafe as asas de suas idéias...