Os poemas, de Mario Quintana

Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto;
alimentam-se um instante em cada
par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti ...

7 comentarios:

  1. Apaixonante, rico, simples.

    Mário, perfeito!

    ResponderEliminar
  2. A saudade vem, sem pedir licenca,
    ameacando o sossego, e tirando minha paz.
    E quando vem a duvida,
    nao sei se fico ou se vou pra sempre.

    A emocao toma conta de mim,
    quando leio o que escreves.
    Te amo muito!!!
    Distante , mas sempre com vc.
    Bjsss
    Celia.

    ResponderEliminar
  3. Este comentario ha sido eliminado por un administrador del blog.

    ResponderEliminar
  4. Celia,


    Deixe a saudade soprar de leve, como um beijo doce na face, um sorriso na alma..... Siga! E mantenha os olhos à frente.

    Sua emoção é minha emoção. Amor além do infinito..... eterno, que me enche por dentro, preenche, que molha meu rosto, me faz sentir paz. Escrevo para viver, escrevo para mim, para você.

    ....... o maior dos abraços, minha mãe linda.

    ;

    ResponderEliminar
  5. Este comentario ha sido eliminado por el autor.

    ResponderEliminar
  6. Como seguir sem vc?
    Como seguir, sem meu coracao,
    que esta ai?
    A saudade nao vem como brisa,
    mas vem machucando, maltratando,
    me tirando o rumo.

    Minha amada filha,,,,,

    Meu amor eh seu......
    Grande saudadesssss.....
    Beijos enormes.....

    ResponderEliminar
  7. Este comentario ha sido eliminado por un administrador del blog.

    ResponderEliminar

Grafe as asas de suas idéias...